Geração distribuída de energia solar fotovoltaica atinge marca histórica de 2 GW no Brasil

Apesar do avanço, setor de energia limpa tem potencial para crescer ainda mais em geração distribuída – consumidores residenciais estão no topo da lista, representando 72,60% do total

Na última segunda-feira, 21 de janeiro, o Brasil atingiu a marca histórica de 2 gigawatts (GW) em geração distribuída solar fotovoltaica de potência instalada, de acordo com a Associação Brasileira de Energia Solar (Absolar). O segmento abrange sistemas de microgeração e minigeração divididos em residências, comércios, indústrias, produtores rurais, prédios públicos e pequenos terrenos. Como uma das referências do setor de energia solar, a Elysia contribuiu de forma significativa para que essa geração de energia limpa crescesse no país.

Como funciona a energia solar?

Segundo mapeamento da Absolar, a fonte solar fotovoltaica representa 99,8% das instalações de geração distribuída do Brasil, chegando a um total de 171 mil sistemas solares fotovoltaicos conectados à rede e mais de R$ 10 bilhões em investimentos acumulados desde 2012, espalhados pelas cinco regiões do país.

Faça um orçamento gratuito

Em número de sistemas fotovoltaicos instalados no Brasil, os consumidores residenciais estão no topo da lista, representando 72,60% do total. Em seguida, aparecem as empresas dos setores de comércio e serviços (17,99%), consumidores rurais (6,25%), indústrias (2,68%), poder público (0,43%) e outros tipos, como serviços públicos (0,04%) e iluminação pública (0,01%).

Apesar do avanço, geração distribuída no país pode crescer ainda mais

Apesar da marca atingida, o presidente da Absolar, Rodrigo Sauaia, destaca que ainda é pouco para um país das dimensões do Brasil, que necessita de um marco regulatório para dar maior segurança ao investidor, e “que desfaça a insegurança jurídica que paira sobre o mercado”, afirmou em nota. A energia eólica, por exemplo, já conta com 15 GW instalados, mas começou a ser implantada em 2005, bem antes da energia solar, que foi regulamentada em 2012.

Baixe o e-book inédito sobre energia solar

A Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) estudava mudança nas regras da Resolução Normativa 482/2012, que normatizou a geração distribuída no País, propondo o pagamento da chamada taxa-fio (Tusd) às distribuidoras. Após críticas, o presidente Jair Bolsonaro afirmou que não “iria taxar o sol”.



ISSO PODE SER INTERESSANTE TAMBÉM:

Setor fotovoltaico - Elysia energia solar Rio Grande do Sul

,

Artigo publicado no Estadão reforça que setor fotovoltaico não conta com subsídio e precisa avançar no Brasil

Continue lendo

,

Energia solar deve quadruplicar no Brasil até 2029

Continue lendo
Setor fotovoltaico - Elysia energia solar Porto Alegre

, ,

Confira 5 informações da semana que mostram a força do setor fotovoltaico

Continue lendo

,

Geração distribuída de energia solar fotovoltaica atinge marca histórica de 2 GW no Brasil

Continue lendo