Em 2020, conta de luz pode ter novo aumento para os consumidores brasileiros

Aumento da conta de luz - Elysia Energia Solar Rio Grande do Sul

Aneel prevê mais um reajuste da conta de luz para o próximo ano – investimento em energia solar, no entanto, é solução para ficar livre dos recorrentes aumentos

As contas de luz dos consumidores de todo o país poderão ter um aumento médio de 2,42% em 2020. O reajuste consta de uma consulta pública aberta no último dia 30 de outubro pela Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) sobre o orçamento para a Conta de Desenvolvimento Energético (CDE), um dos subsídios pagos pelos consumidores de energia.

Entenda como funciona o sistema de reajustes da conta de luz no Brasil

Para 2020, a Aneel aprovou um orçamento para a CDE de R$ 22,453 bilhões, um aumento de 11% em relação ao orçamento deste ano, que é de R$ 20,208 bilhões. Desse montante, a parte paga pelos consumidores teve um aumento de 27% e deve passar de R$ 16,238 bilhões para R$ 20,645 bilhões.

Como funciona a energia solar? 

A CDE é formada por um conjunto de despesas que inclui diversos subsídios que vão da irrigação na agricultura à produção de energia termelétrica nos sistemas isolados, por meio da Conta de Consumo de Combustíveis (CCC), passando pelos descontos da tarifa social de baixa renda, entre outros.

Faça um orçamento gratuito

De acordo com a Aneel, esse incremento para 2020 foi ocasionado pelo acréscimo nos custos da CCC, que teve um aumento de 20% e ficou em R$ 7,586 bilhões. O valor tem relação com o aumento do diesel usado nas termelétricas que atendem pontos isolados, e que não estão no Sistema Interligado Nacional (SIN). Também há a previsão de restos a pagar referente a um possível déficit da conta em 2019, e pela constituição de um fundo de reserva técnica, de R$ 500 milhões.

Mês de novembro é de bandeira vermelha na conta de luz

O mês de novembro será de conta de luz mais salgada para os consumidores. A Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) informou no final de outubro que a bandeira tarifária para este mês será a vermelha, no patamar 1, quando há um acréscimo de R$ 4 para cada 100 quilowatts-hora consumidos. Em outubro, a bandeira foi a amarela, cujo acréscimo na conta é de R$ 1.

De acordo com a agência, a decisão de elevar o patamar da bandeira se deve ao fato de que, apesar de novembro ser o mês de início do período chuvoso nas principais bacias hidrográficas do país, o regime de chuvas está abaixo da média histórica.

Investimento em energia solar protege consumidor dos aumentos

Uma forma de se proteger de eventuais aumentos na conta de luz é investindo em energia solar. Ao iniciar a geração da própria energia, o consumidor passa a depender única e exclusivamente de uma fonte de energia limpa, o que contribui para a preservação dos recursos naturais do planeta. Inserido neste contexto de sustentabilidade, o consumidor passa ser energeticamente independente – e fica livre dos reajustes recorrentes da conta de luz no Brasil.

Inclusive, de acordo com pesquisa da Federação das Indústrias do Rio de Janeiro (Firjan), o Brasil possui a quarta tarifa energética mais cara do mundo. O país também é um dos campeões de incidência de carga tributária sobre a conta de luz. Não há dúvidas de que deixar de depender do fornecimento tradicional de energia é um investimento válido e de retorno rápido. Além do benefício econômico, o impacto ambiental é altamente positivo.

Com cerca de 300 instalações finalizadas no Rio Grande do Sul e em Santa Catarina, a Elysia é uma das principais empresas de energia solar do Brasil. Composta por uma equipe técnica altamente qualificada, a empresa tem como marca registrada o alto padrão na construção de projetos e eficiência na instalação dos sistemas fotovoltaicos. A equipe de técnicos da Elysia possui todos os certificados regulamentares exigidos pelas normativas federais. Isso torna a instalação segura e com garantia de qualidade. Já são mais de 8 mil horas de instalação e quase R$ 2 milhões economizados em conta de luz.

seta-more