Vai construir um imóvel? Saiba como projetá-lo para receber energia solar

Instalação de energia fotovoltaica em Porto Alegre - Elysia energia solar Rio Grande do Sul

Responsável por diversos projetos e instalações de energia solar na região sul do Brasil, a Elysia separou oito dicas para construir sua casa de modo a gerar a própria energia  

Está pensando em construir e quer preparar sua casa para produzir energia solar? A Elysia te ajuda. Para receber a estrutura de um sistema fotovoltaico, é importante levar em consideração alguns pontos no momento de projetar a residência e também durante o processo de construção do imóvel. Nada muito complexo, mas são dicas que podem potencializar a geração de energia, além de aumentar a eficiência dos equipamentos.

Como funciona a energia solar?

E a Elysia auxilia nesta missão. Referência em solução de energia solar no Rio Grande do Sul, a empresa é responsável por mais de 250 projetos e instalações de sistemas fotovoltaicos que já funcionam a pleno em diversas cidades. Confira algumas recomendações que a equipe técnica da empresa separou para que seu imóvel já nasça com uma estrutura pronta para a sustentabilidade.

Faça um orçamento gratuito

1- Orientação do telhado: norte é o ideal, mas não a única opção

A orientação ideal do telhado, que pode gerar mais energia, é a norte. Um telhado com face voltada para essa direção, com um grau de inclinação igual ao da latitude e sem sombras ao redor tem um potencial enorme de geração energética. Mas esse cenário seria, como dissemos, o ideal. Ele não é a única opção para que o sistema fotovoltaico tenha um ótimo desempenho.

Baixe o e-book inédito sobre energia solar 

Caso não seja possível construir com face voltada para o norte, não se preocupe. A perda de geração da energia solar fotovoltaica não é tão grande se o sistema for instalado com faces voltadas ao leste e oeste. As perdas direcionais para telhados com face nordeste ou noroeste variam entre 3% e 8%. Para um telhado com face leste ou oeste, você pode perder entre 12% e 20%.

2 – Certifique-se de que há área suficiente

Se possível, projete um telhado ou laje que tenha uma área livre de pelo menos 10 m². Dependendo da sua demanda de energia, é claro, você poderá precisar de mais área. No site da Elysia, você encontra esta tabela que reproduzimos abaixo – ela pode servir como base. Mas é bom lembrar que estas áreas podem variar de acordo com o sistema de energia solar que você vai instalar na casa.

Área média ocupada por sistemas de energia solar para casas:

Potência de 1.5KWp: ocupa no mínimo 10.5m

Potência de 2.0kWp: ocupa no mínimo 14m²

Potência de 3.0kWp: ocupa no mínimo 21m²

Potência de 4.0kWp: ocupa no mínimo 28m²

Potência de 5.0kWp: ocupa no mínimo 35m²

Potência de 10.0kWp: ocupa no mínimo 70m²

Área média ocupada por sistemas de energia solar para armazéns e indústrias:

Potência de 50kWp: Ocupa aproximadamente de 400m² a 500m²

Potência de 100kWp: Ocupa aproximadamente de 800 a 1000m²

Potência de 1MWp: Ocupa aproximadamente de 8.000 a 10.000m²

3 – Cuidado com “recortes” e ângulos no telhado

Para que o sistema seja instalado, é importante o aproveitamento de áreas inteiras e não muito divididas. Isso faz com que ocorra um bom aproveitamento dos equipamentos. Para cada inversor solar, os módulos podem ser instalados em até duas inclinações diferentes de telhado.

4 – Cuidado com sombreamento

Chaminés, caixas d’água e antenas, por exemplo, projetam sombras que podem prejudicar a geração de energia de um sistema fotovoltaico. Se instaladas na face norte do telhado ou em algum local que faça sombra diretamente nos painéis solares, em algum momento do dia o sistema produzirá menos do que a sua capacidade normal. Por isso, é sempre importante deixar a orientação norte livre para o sistema.

O paisagismo também pode interferir no sistema. Árvores e vegetações altas podem prejudicar a produção de energia – isso ocorre em situações nas quais a sombra dos vegetais alcança o telhado se projeta nos módulos.

5 – Os melhores tipos de telhado

Os painéis fotovoltaicos são presos ao telhado através de um sistema de fixação. Cada tipo de telhado, no entanto, pede um modelo diferente. O sistema de fixação representa uma parte importante do orçamento e, por isso, o tipo de telhado deve ser levado em conta quando estamos preparando uma propriedade para receber energia solar.

– As coberturas de telha metálica, como as trapezoidais comum e termoacústicas, e as coberturas de telha tipo “shingle” são as melhores opções para instalar painéis fotovoltaicos. Essas coberturas facilitam a fixação e são superfícies seguras para instalação.

– As telhas de barro/concreto do tipo francês ou do tipo capa-canal são a segunda melhor opção. Elas requerem algum tipo de manuseio para instalar, mas nada que inviabilize a sua instalação.

– As telhas do tipo fibrocimento trazem alguns problemas no processo de instalação pois são frágeis e podem quebrar durante o processo. Geralmente, elas pedem um sistema de fixação dos painéis independente das telhas.

– Por último, as coberturas planas, como lajes e telhas pré fabricadas em concreto, são uma ótima superfície para instalação. O sistema de fixação para as coberturas planas compensa a pouca inclinação do telhado para garantir que os painéis tenham melhor incidência solar.

6 – Estrutura robusta

Os módulos são fixados em quatro pontos diferentes, com uma boa distribuição do seu peso. Mas uma estrutura fina ou muito espaçada de telhado pode ser um problema na sustentação do sistema. Para ter uma segurança maior, ao construir um telhado para receber um sistema fotovoltaico, é importante considerar cerca de 25 m² ao invés de 15 m².

7 – Local de instalação do inversor e quadro de proteção elétrica

É recomendado sempre prever um local para instalação do inversor solar e do quadro de proteção elétrica. Ambos são equipamentos eletrônicos, portanto, é importante protegê-los de umidade ou incidência direta da luz do sol. Quanto mais afastados de intempéries, mais tempo eles devem durar. 

Também é importante que o inversor esteja perto do seu quadro de distribuição de energia. Isso vai facilitar a ligação na rede e também a manutenção. O acesso fácil também evita que o inversor fique atrás de móveis ou objetos. Outra dica é deixar um eletroduto a mais para conectar o ambiente do telhado e o ambiente do inversor como espera (pode ajudar na parte da estética).

8 – Aterramento do sistema fotovoltaico

Todos os sistemas fotovoltaicos devem ser aterrados por uma questão de segurança. Tradicionalmente, os painéis são aterrados na estrutura e a estrutura à malha de aterramento da casa ou empreendimento. Portanto, deixe um ponto de aterramento no telhado onde os painéis serão instalados para facilitar o processo.

seta-more