Blog

Conta de luz: sete cooperativas de energia gaúchas têm aumento na tarifa

Aumento da conta de luz - Elysia Energia Solar Rio Grande do Sul

No fim de julho, a Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) aprovou mais um reajuste nas contas de luz em 2018. Desta vez, o aumento nas tarifas energia elétrica recaiu sobre sete cooperativas do Rio Grande do Sul. Todas são enquadradas como permissionárias de distribuição. Os novos valores já foram aplicados – passaram a valer no dia 30 de julho. O reajuste atingiu consumidores de 258 municípios gaúchos.

Como funciona a energia solar? Entenda!

Valores por cooperativa

As tarifas de quatro cooperativas gaúchas terão reajuste médio de 10%. Para a Cooperativa Regional de Energia e Desenvolvimento Ijuí Ltda (Ceriluz), o aumento médio será de 10%, com impacto médio de 10,55% para os consumidores em alta tensão e de 9,35% para os de baixa tensão. A cooperativa fornece energia para a área rural de 24 municípios.

Faça um orçamento grátis para adquirir um sistema fotovoltaico.

Para a Cooperativa de Distribuição de Energia Teutônia (Certel Energia), foi aprovado reajuste médio de 10%, dos quais 9,80% para a alta tensão e de 10,12% para a baixa. A distribuidora atua em 48 municípios. No caso da Cooperativa de Distribuição de Energia (Creluz D), a Aneel aprovou aumento médio de 10% nas tarifas. Na alta tensão, o impacto médio será de 17,98% e, na baixa, de 7,95%. A cooperativa atende 36 municípios da região norte do estado.

Os consumidores atendidos pela Cooperativa Regional de Eletrificação Rural do Alto Uruguai (Creral) terão reajuste médio de 10%, dos quais 1,64% na alta tensão e 18,17%, na baixa. A permissionária atua em 37 municípios gaúchos. Para as tarifas da Cooperativa de Energia (Coprel), foi aprovado aumento médio de 9,28% para. Para a alta tensão, o efeito médio será de 13,60% e, para a baixa, de 5,76%. A Coprel atende a 72 municípios gaúchos.

A Cooperativa de Geração e Distribuições de Energia das Missões (Cermissões), que atua em 26 municípios do noroeste do estado, terá reajuste médio de 6,93%. O efeito médio para a alta tensão será de 10,50% e, para a baixa, de 5,70%.

A única permissionária com reajuste negativo nas tarifas de energia foi a Cooperativa Distribuidora de Energia Fronteira Noroeste (Cooperluz). Os consumidores atendidos pela Cooperluz terão efeito negativo médio de 10,34% nas contas de luz. Na alta tensão, a redução média será de 4,55% e, na baixa, de 10,86%. A Cooperluz distribui energia em 15 municípios no noroeste gaúcho.

Com informações da Agência Brasil.

seta-more